Páginas

terça-feira, 24 de maio de 2011

Texto de Márcia Cabrita


Olá pessoal! To de volta e bem melhor do que o último post. Vamos em frente, não é assim que se fala?
Hoje eu estava dando um giro pelo mundo dos blogs e li um texto muito interessante que a Márcia Cabrita escreveu sobre o câncer que teve e tudo que viveu e achei muito bom, ela conseguiu colocar em palavras muitas coisas as quais penso, sinto e que muitas vezes passa desapercebido pela maioria das pessoas que não tiveram essa doença.
Então vou deixar o texto para que vocês leiam:

"Escrevi essa crônica para revista do Globo há tempos, mas até hoje me param na rua para comentá-la. como ando sumida por aqui resolvi reproduzi-la. Bjs

Eu fiquei gravemente doente. Ao contrário do que muitos fantasiam, não tirei de letra. Não sei o porquê, mas existe uma idéia estapafúrdia de que quem está com câncer tem que, pelo menos parecer herói. Nãnanina não! Quem recebe uma notícia dessas não consegue ter pensamentos belos. Bem... eu não conseguia. A cobrança de positividade acabou se tornando um problema. Me olhava no espelho branca, magrela e de cabelos curtinhos (antes de caírem) e me achava pronta para fazer figuração na Lista de Shindler. Achava que não tinha chance de sobreviver à cirurgia, só pessoas que não tinham maus pensamentos sobreviviam. Muitas vezes deixei de comprar coisas para mim porque tinha que deixar tudo para minha filha. Bem, se na minha cabeça era esse o pensamento que reinava ... Sem chance.
O mundo moderno é incrível. Tudo é maravilhoso, não existe sofrimento! As separações são sempre amigáveis e sem lágrimas, as mães não tem mais o direito de embarangar e ficar em casa lambendo a cria. Um mês depois estão lindas, magras, com barriga sarada! Os atores não ficam desempregados, estão sempre felizes com um convite que ainda não pode ser revelado! Quimioterapia é moleza! Vem cá, só eu que não moro na Disney?
Hoje percebo que precisei viver esse luto. Ele passou, apesar do medo fui confiante para o hospital. Mas outras angústias vieram. Sofri pelo que é “o de menos”, chorei pelos cabelos, pelas sobrancelhas, pelos cílios e pelo ... resto que vocês sabem. Chorei pelas dores , enjôos, injeções e tudo mais. Eu me dei esse direito. Eu me dei o direito de ser humana. A Mulher Maravilha mora na televisão, eu moro na Gávea mesmo. A Mulher Maravilha dá aquela giro e sai linda e poderosa correndo para salvar pessoas. Se eu fizesse a mesma coisa cairia estabacada com a careca no chão. Então meu giro foi bem devagarzinho segurando na mão de minha mãe, de minha irmã e de meus queridos amigos e familiares. Girei amparada por dr Eduardo Bandeira, por Virginia Portas, dr Celso Portela e todos enfermeiros e profissionais de medicina que foram simplesmente maravilhosos comigo. Girei rindo e chorando com centenas de comentários no meu blog onde eu virei praticamente uma conselheira oncológica. Girei brincando com minha filha que fez questão de ir para escola de lenço na cabeça “igual a mamãe porque é muito legal”. Girei para salvar a mim mesma.
Sinceramente, não acredito em uma seleção divina. Muitas pessoas bacanas e crianças morrem e isso não é nem um pouquinho justo. Acho um saco quando dizem “ Fulano perdeu a batalha contra o câncer” , “Fulana tem tanta vontade e alegria de viver que foi salva”ou “ O amor por meus filhos me salvou”. Me parece tremendamente injusto. Quer dizer que quem morre não amava a vida? O amor pelos filhos não era grande o suficiente? A fé foi pouca? Pensamento bem cruel, não é mesmo? E é uma coisa bem esquisita, isso só acontece com o câncer, a única doença tão estigmatizada. Ninguém diz que alguém perdeu a batalha para o enfarte, nem que amava tanto a vida que ficou bom da tuberculose.
Re-mis-são. Estou em remissão. Quem não apresenta mais sinais da doença pelo corpo não pode sair correndo gritando que está curada, então saio correndo e gritando que estou em remissão!!! Eba! Remissão é muito bom!!
Vi uma foto minha na internet com meus companheiros de Subversões Aloísio e Salem em que estou com um largo sorriso. Eu estava verdadeiramente feliz. Sem a pílula da felicidade, sem fingir meus sentimentos, sem bancar a maravilhosa. Era eu simplesmente feliz.
E agora ... chega desse assunto! Eu sou atriz e tô mais preocupada com o um convite que não pode ser revelado.
a rua para comentá-la. Como ando sumida por aqui, resolvi reproduzi-la".

Marcia Cabrita www.marciacabrita1.blogspot.com

Espero que tenham gostado, o texto revela bem o que passamos com tudo isso, como ela eu também estou com a doença em remissiva, espero ficar totalmente curada.
Um abraço e fiquem com Deus! Bjssssssssssss

12 comentários:

  1. Oi Querida
    Adorei,nos faz lembrar que somos humanos...e bota humanos nisso, mas tb nos dá força, pois cada dia que passa é uma etapa vencida, nesta batalha que foi tão dura né.
    E você já venceu, só falta poder gritar, mas isso não vai demorar e eu ouvirei:
    _Estou curadaaaaaaaaaaaaaaaaaaaa!!!!!!!!!!!!!!!

    Beijão

    ResponderExcluir
  2. a Marcia consegue escrever bem sobre o que sentimos, com humor. faço minhas as palavras dela, acho injusto dizerem que perdemos a guerra...
    amiga, obrigado pelo carinho e pela força, eu to mesmo borocochô...

    ResponderExcluir
  3. Adoooorei o texto! O problema do câncer sempre mexeu muito comigo, apesar de nunca ter tido e nem um caso próximo. De alguma forma me sensibiliza bastante, porque pode ser com qualquer um. E as pessoas tendem a achar que porque não tem um problema estão imune a ele.

    O texto fantástico, concordo totalmente com a Márcia.

    Beijocas

    ResponderExcluir
  4. Olá Cris! Olhe eu tbem adorei essa postagem da Márcia, e inclusive deixei um comentário lá. A única ressalva q faço é que ela dá umas sumidas que, juro q fico até preocupado. rsrsrs Forte abç.

    ResponderExcluir
  5. A Márcia conseguiu descrever como ninguém o que sentimos, de uma forma natural, com bom humor, bem ela mesma.
    Foi de grande valia o seu blog para mim.
    Afinal temos o câncer em remissão ou não, mas não somos um câncer, como algumas pessoas pensam.
    Bjs.
    Wilma
    www.cancerdemamamulherdepeito@blogspot.com

    ResponderExcluir
  6. GOSTEI MUITO DESSE TEXTO!!!
    EU NÃO GOSTO DE OUVIR QUE DEPENDE
    SÓ DE NÓS MESMA A CURA, OU FULANO PERDEU A GUERRA PORQUE SE ENTREGO, OUVI MUITO ISSO,MAS NÃO ACREDITO QUE SEJA BEM ASSIM.
    QUE BOM SABER QUE ESTÁ MELHOR CRIS.
    FIQUE COM DEUS, BJS.

    ResponderExcluir
  7. Muito interessante o blog, seu trabalho. Convido-a a conhecer o http://misteriosdovale.blogspot.com
    Paz e bem!

    Sônia Gabriel

    ResponderExcluir


  8. Boa noite!

    Vim te visitar e deixar minha mensagem:

    "Não há nada no mundo que me faça infeliz, desde que creio em Deus e em mim próprio, feito à imagem do criador". (Hans Willing)

    Que seus dias sejam abeçoados!

    Deus seja contigo!


    Blog Yehi Or!

    www.hajalluz.blogspot.com

    ResponderExcluir
  9. Olá!
    A Márcia é mais uma a juntar-se a s guerreiras.
    Ca de ovário....
    Meu coração deseja a ela e a todas as lutadoras sucesso no tratamento e para vc um sentimento especial e duplo. Vamos Confiantes sempre.
    Bjs

    ResponderExcluir
  10. Um texto lindo e claro, com garra vamos crer que vais ficar ótima.É o que queremos!Desejo de coração! beijos,lindo fds,chica

    ResponderExcluir
  11. Cris amada!
    Não conhecia o texto e adorei a maneira como ela fala de tudo...do jeito que realmente é...sem "maquiagem". E vamo que vamo "em remissão"!
    Beijuuss n.a.

    ResponderExcluir
  12. Olá Cris !!
    ADOREI o texto. Retrata bem a verdade. O fingimento do mundo moderno leva a abismos solitários...
    E vc anda sumida amor... Apareça.... Dê notícias.
    Rezo por vc, viu??
    Um super beijo no coração.

    ResponderExcluir